Primeiro Aterro Sanitário de Mato Grosso é inaugurado em Rondonópolis

O primeiro Aterro Sanitário de Mato Grosso foi inaugurado nesta sexta-feira (1) em Rondonópolis. O espaço com 55 hectares irá receber diariamente 170 toneladas de rejeitos (materiais não reutilizáveis) e tem previsão de vida útil de 20 anos. Com isso, a partir do dia 4 de setembro o lixão que era utilizado pelo município passa a ficar inativo.

O Aterro Sanitário será administrado pelo Serviço de Gerenciamento de Resíduos (Seger), empresa que ganhou a licitação do Serviço de Saneamento Ambiental de Rondonópolis (Sanear) para gerenciar o local. No aterro, também funcionará a cooperativa de materiais reciclados, no qual, após cerca de 30 trabalhadores passarem por capacitação no Sanear irá funcionar separando as duas mil toneladas de reciclados recolhidos em 30 bairros de Rondonópolis diariamente.

A construção do aterro faz parte da Política Nacional de Resíduos Sólidos, e para o prefeito Zé Carlos do Pátio, a concretização dessa obra faz parte do processo de avanço de Rondonópolis, que também está chegando a 100% da cobertura de água e esgoto. “Rondonópolis hoje possui várias obras na área de rede de esgoto, tanto que temos a maior cobertura do Estado. E também temos cobertura de quase 100% da rede de água. A inauguração desse aterro será mais um passo para dar qualidade de vida aos rondonopolitanos. E não vamos medir esforços para que até o final do nosso mandato tudo esteja finalizado”, afirmou Pátio.

De acordo com a diretora geral do Sanear, Terezinha Souza, a inauguração do aterro é um marco, pois é o primeiro espaço totalmente dentro das normas técnicas de funcionamento em Mato Grosso. E além de Rondonópolis, o aterro estará à disposição dos municípios vizinhos. “Ele é o primeiro aterro licenciado e correto de Mato Grosso, que não irá atender simplesmente Rondonópolis, mas também as cidades da Região Sul”, disse.

Para uma maior duração do aterro, o Seger irá utilizar técnicas no aterro que asseguram proteção ao meio ambiente e correto tratamento dos resíduos. São exemplos a impermeabilização do solo, o sistema de drenagem e a compactação diária, que reduzem o volume do lixo e evitam a contaminação de áreas vizinha.

Já com relação ao antigo lixão, o Sanear irá iniciar um trabalho de revitalização da área que recebeu por 25 anos os rejeitos do município. E a previsão é que dura cerca de um ano essa recuperação.

Estiveram presentes na inauguração do aterro, o prefeito de Rondonópolis, Zé Carlos do  Pátio; a diretora do Sanear, Terezinha Souza; o deputado federal, Adilton Sachetti; o deputado estadual, Allan Kardec; o secretário de Estado de Ciências e Tecnologia, Domingos Sávio e entre outras autoridades representando a Câmara Municipal e o Seger.

Comments are closed.