Sanear alcança recurso para potencializar o abastecimento de água da cidade

O Ministério das Cidades liberou essa semana cerca de R$15 milhões oriundos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC II) no contrato 0350.807-48/2011, para execução de obras no sistema de abastecimento de água de Rondonópolis.

No final da primeira administração do prefeito Zé Carlos do Pátio, foi captado um recurso de R$ 47 milhões pelo Sanear. Entretanto, mesmo com o recurso não houveram avanços nas obras e somente R$ 10 milhões foram aplicados. Até então, as obras ficaram paralisadas e só foram retomadas no ano de 2017. Deste montante total, ainda existia um grande risco de que fossem perdidos 15 milhões de reais.

A gestão atual do Sanear, fez a complementação dos projetos e tratativas junto ao Governo Federal, demonstrando a importância da aplicação deste recurso no saneamento de Rondonópolis. E, em parceria com a atividade parlamentar do Deputado Adilton Sachetti conseguiu a recuperação do valor total de R$ 15 milhões.

A quantia será direcionada à ampliação e modernização do sistema de abastecimento de água. Dentre as obras que serão executadas está a continuação dos trabalhos do Alfredo de Castro, beneficiando o Bairro Grande Conquista, onde será realizada a implantação de uma Estação Elevatória com vazão de 150 litros por segundo, uma adutora de 400mm, um reservatório de 1900 m³ e redes de água diretamente ligadas aos imóveis, que serão instaladas sem custo para todos os moradores.

O recurso também dará suporte à modernizações no sistema de captação, na Estação de Tratamento de Água (ETA) e na Elevatória Monte Líbano, aumentando a capacidade de adução, tratamento e distribuição de água em toda a cidade.

Serão inseridas novas adutoras, reservatórios de grandes volumes, instalações hidráulicas e aparelhagens de bombas que aumentarão o fluxo hídrico.

Para promover melhorias no sistema de abastecimento dos bairros, serão construídos dois "superpoços", localizados no setor do antigo Aeroporto e da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Dessa forma, o sistema de operação será estabilizado e possuirá uma capacidade de recuperação mais rápida quando houverem paradas estratégicas de manutenção.

Comments are closed.